CLP – 26% dos municípios gastam acima do limite com funcionalismo
Notícias

26% dos municípios gastam acima do limite com funcionalismo

10/10/2017 - Fonte: Confederação Nacional dos Municípios

 

 

 

As prefeituras brasileiras estão com a folha de pagamento acima do limite estabelecido pela Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF), que instituiu um teto máximo da despesa de pessoal para os municípios em 60% da receita corrente líquida, do qual, 54% é reservado ao Poder Executivo e 6% ao Legislativo. Segundo um estudo realizado pela Confederação Nacional dos Municípios (CNM), 26% das cidades que prestaram informações ao Tesouro Nacional tinham estourado o limite fixado pela Constituição.

A análise foi feita com base em informações prestadas a Secretaria do Tesouro Nacional (STN) pelas cidades municípios brasileiros até o último mês de agosto, a CNM utilizou dados das Finanças do Brasil (Finbra) para chegar ao número de 4.965 Municípios que prestaram informações, destes, 1.297 estavam com suas despesas com o funcionalismo acima do limite constitucional de 60%.

Segundo a CNM, essa situação é consequência "do aumento do quadro de pessoal imposto aos municípios com a municipalização das políticas públicas, dos pisos salariais e da redução da Receita Corrente Líquida (RCL) decorrente da queda da arrecadação dos impostos municipais e das transferências constitucionais". O presidente da CNM, Paulo Ziulkoski, disse que a principal dificuldade enfrentada pelos prefeitos decorre dos numerosos programas federais executados pelos municípios. "É preciso contratar pessoas para executar os programas, contratar professores, médicos, psicólogos e outros profissionais, o que compromete muito as receitas municipais", afirmou.

A análise dos gastos com a folha de pessoal mostra ainda um crescimento nos últimos anos. Se em 2014 eram aplicados R$ 22,17 bilhões com os salários em todo o estado, no ano passado esse número chegou a R$ 26,38 bilhões. Para agravar a situação, Ziulkoski disse que os recursos repassados pela União para os programas não são corrigidos pela inflação, o que reduz os valores reais ao longo do tempo. Ele citou o caso do repasse para o programa Equipe Saúde da Família (ESF), que no início era de R$ 8,1 mil. Se tivesse sido corrigido pela inflação, Ziulkoski disse que em agosto o repasse seria de R$ 15 mil, mas o governo só está transferindo R$ 10.695. "A situação no próximo ano ficará pior por causa do teto de gastos, que limitou o aumento das despesas pelo IPCA. A correção incidirá sobre repasses que já estão defasados", explicou.
 

Saiba mais sobre o estudo.

 

Curso Online Finanças Municipais


 

destaques
Confira o desempenho do seu estado no Ranking de Competitividade dos Estados...

Confira o desempenho do seu estado no Ranking de Competitividade dos Estados...

Confira os resultados do Ranking de Competitividade dos Estados 2018

Lançamento do Ranking de Competitividade dos Estados 2018

Lançamento do Ranking de Competitividade dos Estados 2018

Inscreva-se e assista à transmissão online da apresentação dos dados e da posição dos estados.

Confira o desempenho do seu estado no Ranking de Competitividade dos Estados...

Confira o desempenho do seu estado no Ranking de Competitividade dos Estados...

Os estados são avaliados sob a ótica de 10 pilares a partir do agrupamento de 68 indicadores.